Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

O Que Comer no Período Pós-operatório

por Gabriela Frigo, nutricionista

O sucesso da cirurgia não depende exclusivamente das habilidades técnicas cirúrgicas, pois como qualquer lesão, provoca uma série de reações, incluindo a liberação de hormônios do estresse e um estado de inflamação, condição com grande impacto em nosso metabolismo. Se alimentar adequadamente é essencial para uma recuperação plena e eficaz durante o período pós-cirúrgico.

Neste cenário as nossas reservas energéticas como a glicose, gorduras e proteínas são degradadas e desviadas de sua função normal de manutenção da massa muscular para as tarefas de cicatrização e resposta imunológica.

O planejamento nutricional é essencial para atenuar estas alterações do metabolismo e fundamental para a recuperação funcional e cicatrização.

Do ponto de vista metabólico e nutricional, os principais aspectos do cuidado perioperatório incluem:

1) Evitar longos períodos de jejum pré-operatório;

2) Restabelecimento da alimentação oral o mais cedo possível após a cirurgia;

3) Redução de fatores que exacerbam o catabolismo relacionado ao estresse;

4) Mobilização precoce para facilitar a síntese proteica e a função muscular.

E o resultado estará relacionado a múltiplos fatores associados, como a dimensão da cirurgia, idade ou condições metabólicas prévias como desnutrição, obesidade e índice de massa corporal.

 

E quais estratégias nutricionais podem atenuar o estresse metabólico?

A nutrição no período pré e pós operatório pode ter um impacto significativo sobre o resultado, além de aumentar a imunidade e diminuir o estresse oxidativo.

A suplementação deve ser específica à deficiência nutricional, sendo a ingestão alimentar a principal fonte de nutrientes.

Os principais nutrientes:

• Água: em torno de 30ml/kg

• Refeições com baixa carga glicêmica: composta por carboidratos complexos, proteínas e boas gorduras.

• Atenção especial para os aminoácidos como Arginina, Cisteína, Glicina, Lisina, Metionina, Prolina para síntese de tecido conjuntivo, colágeno e enzimas antioxidantes, 

• Os ômegas atenuam a resposta imunológica e inflamatória.

• Micronutrientes com função antioxidante e anti-inflamatória como as Vitaminas, Minerais, Compostos Bioativos, probióticos e prebióticos.

*a dose diária dos macronutrientes e suplementação é individual bem como a conduta para pacientes com insuficiência hepática e renal.

Gostou deste conteúdo? Para acompanhar nossos conteúdos sobre saúde e esporte acesse nosso blog e siga-nos no instagram.

Conheça melhor a área de nutrição da Care Club

Conheça também nossos eBooks desenvolvidos pelos profissionais especialistas da Care Club

ARTIGOS RELACIONADOS

Bem-estar

Dieta “Low Carb”: Para Quem é Recomendado?

A dieta “low carb”tem sido uma estratégia para perda de peso desde 1860 e começou a ser mais utilizada a partir de 1972. A fundamentação da “low carb” se baseia em reduzir diariamente a ingestão de carboidratos em valores que podem variar de menos que 10 % até 44% de carboidrato em relação com a ingestão de calorias diária, sendo classificada de acordo com o percentual de carboidrato…

SAIBA MAIS »
Esportes

Guia de Nutrição para Praticante de Vôlei

Alimentar-se bem é fundamental para um bom rendimento nos treinos e nas competições. Por isso, o acompanhamento com um nutricionista é essencial para melhorar a performance física do atleta praticante de vôlei, auxiliando-o na redução do risco de lesões, promovendo uma melhor recuperação muscular, preservando a massa muscular e óssea e mantendo a composição corporal ideal…

SAIBA MAIS »