Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

Nutrição no Futebol

por Larissa Marfori, nutricionista da Care Club

O futebol é um esporte global em constante evolução, principalmente em termos técnicos e físicos, sendo a nutrição um pilar importante para que ambos se desempenhem eficientemente. Nessa modalidade, os atletas amadores diferem dos atletas de alto rendimento apenas nos objetivos, onde o primeiro busca o lazer já o outro é a sua profissão. Entretanto, ambos devem entender que o alimento é a base para a qualidade no desempenho e proteção contra lesões. Logo, o papel do nutricionista é de extrema importância para orientar a alimentação adequada para os jogadores de futebol.

Existem três situações que devem ser consideradas nas estratégias nutricionais dos praticantes de futebol:

1) Alimentação para os dias de partidas de futebol
Os jogadores durante uma partida de futebol executam atividades de moderada a alta intensidade e, já é sabido pela literatura, que o carboidrato é o principal nutriente fornecedor de energia para esse perfil de exercício. Logo, segundo as recomendações, seria ideal um aumento do consumo de seus alimentos fontes em 24 a 72h antecedentes ao evento para que seus estoques na forma de glicogênio hepático e muscular sejam reabastecidos e suficientes para suprir as necessidades da partida.
Outro fator importante a se considerar durante o jogo de futebol é a hidratação, pois está diretamente relacionada ao rendimento. Os eletrólitos são importantes para manter o equilíbrio hidroeletrolítico e suas perdas ocorrem quando há aumento na taxa de sudorese. Portanto, o jogador deve iniciar uma partida hidratado através da reposição eletrolítica por bebidas isotônicas 24h e 2 – 4h antes do evento.

2) Alimentação para os dias de treinamento
A carga e volume de treino para um jogado de elite é bem maior que a do jogador amador, entretanto, ambos devem se atentar em otimizar e tornar eficiente a recuperação muscular após cada sessão de treino.
As proteínas são o “nutriente chave” para a recuperação das estruturas musculares, podendo ser oferecidas quantidades maiores que as recomendadas para a população geral. Estudos mostram que a ingestão de 150 a 200g de proteína por dia distribuídas em três a quatro refeições tornam eficiente a recuperação dos músculos, além disso, a qualidade delas também pode impactar nos resultados, pois as que apresentam maior concentração de aminoácido leucina parecem ser mais eficazes.

3) Composição corporal
O excesso de gordura corporal pode afetar a relação potência x peso de um jogador de futebol, sua capacidade de aceleração e gasto calórico total.
Para atletas amadores, estar dentro do peso ideal e porcentagem de gordura adequados beneficiam a saúde porque os colocam em menos risco de lesões. Já em atletas de alto rendimento, a composição corporal depende da fase do treinamento e se há ou não lesão, pois tais cenários vão afetar diretamente a performance do atleta.
Desta forma, o planejamento nutricional precisa ser estratégico independente se o jogador de futebol tem objetivos recreativo ou fins profissionais, deverá respeitar as individualidades e cada fase de treinamento assim como suas necessidades e preferências.


REFERÊNCIAS: Collins J, et al. Br J Sports Med 2021.

Larissa Marfori é nutricionista da Care Club São Paulo/SP

Saiba mais sobre a especialista

Para ficar sempre atualizado sobre os conteúdos produzidos por nossos especialistas, cadastre seu e-mail abaixo:

MAIS CARE CLUB NA MÍDIA

Futebol

Dicas para não se lesionar no Futebol

Os chamados “atletas de fim de semana”, ou seja, aquelas pessoas que não costumam praticar exercícios regularmente durante a semana, mas geralmente participam de algum joguinho no fim de semana, devem se atentar a alguns erros comuns e evitá-los para melhorar sua saúde em geral.

SAIBA MAIS »