Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

Imobilização: aliada ou vilã no tratamento de lesões?

por Dr. Henrique Schaffhausser, médico ortopedista

Muitas pessoas têm a ideia de que lesão é sinônimo de repouso. Porém, cada vez mais, tem-se discutido os reais benefícios e as possíveis desvantagens em imobilizar um paciente.

Como especialistas no aparelho locomotor, temos alguns conceitos e objetivos que nos guiam durante o tratamento das lesões: recuperar a função aos níveis prévios da maneira mais rápida possível e diminuir as chances de uma recidiva.

Sabe-se que períodos de imobilização (mesmo curtos), diminuem a força e o volume muscular, bem como podem estar acompanhados de alterações neuromotoras, o que dificulta a reabilitação e o retorno à prática esportiva.
Em algumas situações, porém, é necessário imobilizar, como por exemplo na abordagem às fraturas e a algumas lesões ligamentares tratadas de forma conservadora. No entanto (quando indicada) a imobilização deve vir junto de um acompanhamento profissional qualificado com a finalidade de ser utilizada pelo menor tempo possível.

Já outras afecções têm muito benefício com a reabilitação precoce. É o caso das lesões musculares e de entorses mais leves, que apresentam melhores resultados clínicos quando tratados de maneira ativa e funcional. Dessa forma, acredita-se que a cicatrização tecidual ocorra de maneira otimizada e a função pode ser restaurada mais rapidamente, conferindo um retorno às atividades de maneira segura e efetiva.

Cada caso tem suas particularidades que precisam ser consideradas. Uma coisa, no entanto é certa: nós não fomos feitos para ficar parados e o movimento, muitas vezes, é o nosso maior aliado.
DR. HENRIQUE SCHAFFHAUSSER
É Médico Ortopedista especializado em Ombro e Cotovelo na unidade Itaim em São Paulo/SP

ARTIGOS RELACIONADOS

Fisioterapia

Existe um Limite do Desempenho no Esporte?

Muitos acreditam que é na fadiga e no cansaço onde podemos identificar o limite, mas é aí que está a graça da conversa, já que eles nos ajudam sim a identificar o momento, mas a precisão desses indicadores pode ser mais ou menos correta, dependendo da pessoa, circunstância e contexto da prática esportiva.

SAIBA MAIS »
Fisioterapia

Nem sempre o fortalecimento será a solução das lesões nas corridas

Nem sempre o fortalecimento será a solução das lesões nas corridas. Recebo muitos corredores com microlesões, àquelas relacionadas a sobrecargas de treinamento e até mesmo de repetições de desvios posturais. A história natural desses corredores é procurar por ajuda profissional, que por muitas vezes orientam alongar, fortalecer e usar algum medicamento.

SAIBA MAIS »
Fisioterapia

Fascite plantar em corredores

Sabe aquela dor na sola do pé? Aquela que é pior ao levantar pela manhã, mas que também pode aparecer durante a corrida e estragar o seu treino ou no pós treino que te faz lembrar dela por um bom tempo? Pois é, é a fascite plantar! Ela é o processo inflamatório do tecido conjuntivo fibroso e pouco elástico conhecido como fáscia plantar, que se localiza do calcâneo até os dedos do pé. A mesma tem a função de manter a curvatura do arco plantar auxiliando na distribuição das cargas da corrida no pé.

SAIBA MAIS »