Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

Dicas e Orientações de Alimentação para o Pós Parto e Puerpério

por Julia Vasconcellos, Ingrid Zoppi, Viviane NascimentoNathalia Perez, nutricionistas

Após o nascimento do bebê se inicia um momento repleto de novidades, particularidades, novas sensações e muitas dúvidas. Por isso nossas nutricionistas prepararam estas dicas para que a mãe e o bebê possam passar por este período com mais tranquilidade e saúde.

PÓS PARTO

O contato pele-a-pele já na sala de parto, assim como uma primeira amamentação imediata, é um momento importante que favorece mãe e bebê. Converse com seu/sua médico(a) sobre a possibilidade – em alguns casos a mãe vai para a recuperação e amamenta somente mais tarde.

Ficar junto, mãe e bebê no mesmo quarto, após o nascimento facilita e estimula o aleitamento materno. Porém o berçário pode ser uma chance preciosa de mãe e pai descansarem do processo do parto e terem uma boa noite de sono antes do retorno à casa. Veja como se sentem e decidam em conjunto com as pessoas que confiam.

Após o nascimento do seu bebê, é absolutamente normal que seu corpo passe por um período de recuperação. Quanto tempo isso dura dependerá de sua saúde geral, mas pode levar até um ano para que seu corpo volte completamente a como estava antes da gravidez – e tudo bem.

As contrações uterinas, às vezes chamadas de “dor pós-parto”, podem ser sentidas como fortes sensações de cólica durante os primeiros dias, principalmente durante a própria amamentação, que estimula o retorno do útero ao seu lugar e tamanho de origem. Esse é um processo natural e que favorecerá o seu reestabelecimento mais rápido.

Dicas para casa:
• Se foi parto normal, você já pode fazer exercícios de contração e liberação da pélvis (Kegels) – converse com seu/sua médico(a).
• Se fez cesárea, mantenha os curativos da incisão da cesárea limpos e secos.
• Tenha uma alimentação saudável e não esqueça de beber bastante água
• Descanse sempre que possível
• Durma quando o bebê dormir – delegue tarefas e priorize seu descanso, não arrume mil coisas pra fazer nesse momento de sossego, por mais tentador que seja. Isso inclui o uso do celular.

 

AMAMENTAÇÃO

Amamentar é um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, com repercussões no estado nutricional da criança, em seu sistema imune, em sua fisiologia, no seu desenvolvimento cognitivo e emocional, e em sua saúde no longo prazo, além de ter implicações na saúde física epsíquica da mãe. É um ato natural de vínculo, afeto, proteção e nutrição para a criança e constitui a mais sensível, econômica e eficaz intervenção de saúde para seu bebê, pois além de ser livre de contaminações, o protege de infecções e alergias.

O leite materno é capaz de suprir sozinho as necessidades nutricionais da criança nos primeiros seis meses, e continua sendo uma importante fonte de nutrientes no segundo ano de vida. Entretanto não é um período simples para a mãe, que deve se preparar e ter apoio de familiares e/ou profissionais. O cansaço, fome e sede aumentam, ao mesmo tempo que o tempo de autocuidado e sono diminuem. Cada mãe e cada criança são únicos e devem chegar à melhor rotina juntos, aprendendo, dia após dia.

Por vezes, outras estratégias são necessárias durante a amamentação, ou até há impossibilidade de amamentar por qualquer motivo, e as dúvidas, medos e dificuldades podem se tornar um fator de stress a mais nesse período delicado da vida da mulher. Informe-se com profissionais de confiança e faça o melhor para você e seu bebê, criando o vínculo pelo amor independente do método.

Pensando nisso aqui estão algumas orientações para aumentar seu arsenal de estratégias e soluções:

TÉCNICAS DE PREPARO E ALEITAMENTO MATERNO:
• Para preparar o mamilo, evite usar hidratantes e procure tomar sol neles, para que estejam mais equipados a suportar o desgaste.
• Sempre higienizar mãos, braços e mama antes de amamentar.
• Manter unhas curtas e limpas.
• Passe um pouco do próprio leite no mamilo, antes e após a mamada – hidrata e evita rachaduras.
• Procure um lugar tranquilo, que dê suporte às suas costas.
• Evite se distrair e mexer em celular durante a amamentação, aproveite para conversar com seu bebe, olho no olho.
• Verifique se ele está com o nariz desbloqueado, lábio inferior voltado para fora, e com o queixo encostado na mama.
• A auréola deve estar quase toda dentro da boca do neném.
• Se está tendo dificuldade, consultar uma enfermeira especialista em amamentação pode ser uma ótima solução – sendo únicos, vocês podem ter necessidades especiais que ela pode ajudar a esclarecer.

Recomenda-se que a criança seja amamentada sem restrições de horários e de tempo de permanência na mama = amamentação em livre demanda. Nos primeiros meses, é normal que a criança mame com frequência e sem horários regulares. Em geral, um bebê em aleitamento materno exclusivo mama de oito a 12 vezes ao dia.

Para evitar que a criança fique mamando em intervalos muito curtos, sempre esvazie bem as mamas, primeiro uma e depois ofereça a outra. Se o bebê mama menos do que sua capacidade, vai querer mamar dali alguns minutos de novo, e você não conseguirá descansar. Isso pode ocorrer porque ele se cansa, ou até adormece. Oriente-se com a enfermeira no hospital de como incentivá-lo – as vezes é necessário até acordá-lo algumas vezes durante a sessão.

O leite inicial é diferente do leite final, este último sendo mais grosso e calórico, por ser rico em gordura, saciando mais – e importante para o ganho de peso do bebê.

 

COMO AUMENTAR A PRODUÇÃO DE LEITE?
• Deixe o bebê mamar em livre demanda, ou seja, sempre que ele quiser e até que esteja satisfeito.
• Se alimente bem e evite redução abrupta de alimentação.
• Se hidrate com regularidade – beba de 2 a 3 litros por dia.
• Não fique com o seio cheio por longos períodos, se não for amamentar, ordenhe.
• Quanto mais o bebê sugar o peito, mais leite será produzido.
• Ofereça o outro seio apenas quando esvaziar um. Comece a mamada seguinte pelo seio que você ofereceu por último.
• Se o bebê não esvaziou uma das mamas, retire o leite e ofereça este peito na próxima mamada.
• Até os seis meses, o bebê só necessita de leite materno – não há necessidade nem de água, nem de suco. A partir dos seis meses, ofereça novos alimentos para a criança e continue amamentando até os dois anos.
• Chás são contraindicados para bebês – além de desnecessário até os 6 meses, até os 2 anos pode ter um efeito exacerbado como supressor do sistema nervoso, ou seja, ser calmante demais e causar até uma parada cardiorrespiratória.
• Já a mãe se beneficia de chás calmantes – diminuem o stress e isso favorece a produção de leite.

 

CARACTERÍSTICAS GERAIS DA COMPOSIÇÃO DO LEITE MATERNO:
• Colostro: 5 dias após parto (até 7 dias).
• Leite de transição: 5o ao 15o dia após parto.
• Leite maduro: após o 10o dia.

 

SOBRE A ALIMENTAÇÃO DA MÃE:
Acredita-se que um consumo extra de 500 calorias por dia seja o suficiente, pois a maioria das mulheres armazena durante a gravidez de 2 a 4 kg para serem usados na lactação. O consumo de água deve ser constante e farto – você provavelmente vai sentir sede constantemente. Cada corpo reage de uma forma – não compare o seu puerpério com o de ninguém.

A fome aumenta e mesmo com a demanda calórica da produção do leite nem todas as mulheres tem uma redução de peso nesse período. Tenha paciência e esclareça suas duvidas para entender como se cuidar sem prejudicar a sua produção de leite.

ORIENTAÇÕES GERAIS:
• Evitar açúcar e doces em excesso – eles podem excitar o bebê, além de provocar gases e cólicas.
• Beber cerca de 2 a 3 litros de líquidos por dia – de forma regular e não tudo de uma só vez.
• Evitar bebida alcoólica, refrigerantes em geral, chocolates, café, chás com cafeína, diuréticos ou termogênicos(gengibre, canela, mate, verde, branco, hibisco, vermelho, cavalinha, preto…).
• Consumir chás calmantes como camomila, melissa, erva-doce, erva-cidreira.
• Evitar consumo de adoçantes artificiais.
• Se algo lhe provoca gases, é possível que cause também ao seu bebê, evite.
• Consumir alimentação variada, priorizando alimentos naturais ricos em vitaminas e antioxidantes.
• Coma frutas, legumes, oleaginosas, verduras, derivados do leite, carnes magras, pães e cereais.
• Evitar alimentos processados e ultra processados.
• Consumir alimentos fontes de cálcio como vegetais verdes escuros e três ou mais porções de
derivados do leite por dia (estes em lanches e café da manhã).
• Consumir verduras e legumes no almoço e jantar, e evitar derivados de leite nas mesmas.
• Esforçar-se para consumir frutas de todos os tipos que gosta, além de ricas em água, são ricas em vitamina. Por exemplo, frutas amarelas e vegetais amarelos, laranja, vermelho são fonte de vitamina A, e as frutas cítricas, de vitamina C.
• Consumir boas fontes de proteína (carnes, ovos, leguminosas) – que também fornecerão ferro.
• Evitar “dietas” e medicamentos que promovam perda de peso – pode haver interrupção da produção do leite além de medicamentos passarem pelo leite e prejudicarem o bebê.
• Quando for voltar a praticar exercícios, amamentar primeiro, esvaziando a mama, e depois ir treinar – isso evita alteração do gosto do leite para o bebê pelo ácido lático e evita desconforto para a mãe durante a atividade – pelo seio cheio e dolorido.
• Evitar alimentos picantes e condimentos em excesso (pimentas, alho, cebola, etc) – pode haver alteração do gosto do leite e rejeição por parte do bebê.
• Nunca tomar medicações sem consultar seu/sua pediatra.
• As cólicas são normais nos primeiros 3 meses. Se seu bebê estiver tendo muita cólica, evite alimentos que alterem o seu intestino, além de seguir todas as orientações anteriores.
• É verdade que alguns alimentos podem favorecer a cólica no bebê e reduzi-los pode surtir algum efeito. Junto com seu/sua nutricionista, teste se a redução de alguns funciona para vocês (não há uma recomendação geral). Assim vai evitar restrições exageradas e falta de nutrientes importantes.
• Cada experiência é única e se permita aprender com seu/sua filho(a).

JULIA VASCONCELLOS
É Nutricionista Clínica e Esportiva na unidade Parque do Povo em São Paulo/SP
INGRID ZOPPI
É Nutricionista Clínica e Esportiva na unidade Parque do Povo em São Paulo/SP
VIVIANE NASCIMENTO
É Nutricionista na unidade Parque do Povo em São Paulo/SP
NATHALIA PEREZ
É Nutricionista Clínica e Esportiva na unidade Parque do Povo em São Paulo/SP
Conheça também nossos eBooks desenvolvidos pelos profissionais especialistas da Care Club

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *