Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

Cuidados com o Ombro no Beach Tennis

por Dra. Bruna Medeiros, fisioterapeuta

Uma das atuais febres no esporte é o beach tennis (BT), modalidade de tênis de areia.
 
No Brasil a modalidade chegou em meados de 2008 e hoje aqui é a segunda maior força do mundo neste esporte, atrás apenas da Itália fundadora da categoria esportiva.

O grande lance do BT é ser um esporte completo e de mais baixo impacto comparado com o tênis tradicional. Nesse esporte joga-se na areia com uma raquete de EVA com aderência suave e uma bola de pressão media, assim há menos força nos golpes e o ganho maior é na capacidade de execução das técnicas.

Aqui que entra o ombro e a fisioterapia. Para uma boa execução o nosso ombro deve estar com a cinesiologia adequada para a força e tração desempenhadas, e o nosso grande responsável por essa sinergia é o Manguito rotador.

O Manguito rotador é composto por 4 músculos originados na escápula e inseridos no úmero: supra-espinhoso, infra-espinhoso, redondo menor e subescapular. Juntos eles formam um capacete protetor para as forcas de tensão e compressão exercidas na articulação do ombro, protegendo a cartilagem, bursas, ligamentos e tendões nos movimentos.
 
Logo se vamos praticar qualquer atividade de uso repetitivo e unilateral de articulações multifuncionais como nesse caso o ombro, devemos atentar para o fortalecimento do estabilizador da região para evitar dores e lesões. Assim uma sequência de aquecimento com faixa elástica que visem rotação externa do ombro, rotação interna do ombro, depressão e adução de escapulas, se bem executadas, ajudarão no desempenho do esporte e na prevenção.

Sendo assim, a fisioterapia mais do que propor técnicas de reparo, recuperação e tratamento de lesões, vem também como educadora de movimento e assessoramento para prevenir lesões e manter a saúde articular por mais tempo, afinal, quem gosta de esporte não para nunca.
DRA. BRUNA MEDEIROS
É Fisioterapeuta na unidade da Care Club Porto Alegre/RS

ARTIGOS RELACIONADOS

Fisioterapia

Existe um Limite do Desempenho no Esporte?

Muitos acreditam que é na fadiga e no cansaço onde podemos identificar o limite, mas é aí que está a graça da conversa, já que eles nos ajudam sim a identificar o momento, mas a precisão desses indicadores pode ser mais ou menos correta, dependendo da pessoa, circunstância e contexto da prática esportiva.

SAIBA MAIS »
Fisioterapia

Nem sempre o fortalecimento será a solução das lesões nas corridas

Nem sempre o fortalecimento será a solução das lesões nas corridas. Recebo muitos corredores com microlesões, àquelas relacionadas a sobrecargas de treinamento e até mesmo de repetições de desvios posturais. A história natural desses corredores é procurar por ajuda profissional, que por muitas vezes orientam alongar, fortalecer e usar algum medicamento.

SAIBA MAIS »
Fisioterapia

Fascite plantar em corredores

Sabe aquela dor na sola do pé? Aquela que é pior ao levantar pela manhã, mas que também pode aparecer durante a corrida e estragar o seu treino ou no pós treino que te faz lembrar dela por um bom tempo? Pois é, é a fascite plantar! Ela é o processo inflamatório do tecido conjuntivo fibroso e pouco elástico conhecido como fáscia plantar, que se localiza do calcâneo até os dedos do pé. A mesma tem a função de manter a curvatura do arco plantar auxiliando na distribuição das cargas da corrida no pé.

SAIBA MAIS »