Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

COMO PREVENIR E TRATAR A CONDROMALÁCIA PATELAR

Você sente dor na parte da frente do joelho? E também estalos? Eles acontecem principalmente quando você se agacha, corre, se levanta da cadeira, fica muito tempo sentado ou ao subir e descer escadas? Esses são sintomas típicos da condromalácia patelar, lesão que ocorre pelo aumento de atrito (e pressão) entre a cartilagem da patela (osso localizado na frente do joelho) e a tróclea do fêmur, onde ela se articula. O resultado é dor e alguma alteração na cartilagem: um amolecimento, fissuras e até algo próximo de um desgaste. A seguir, o ortopedista da CareClub Marcelo Bonadio dá algumas dicas de como prevenir e tratar o problema.

Causas: podem ser genéticas, ou seja, uma predisposição do atleta que tem uma cartilagem ou uma anatomia que o deixa mais suscetível à lesão, como o joelho valgo (“para dentro”) ou uma patela mais tensa na região lateral. “E também existem as sobrecargas mecânicas: um aumento no volume de treino associado a uma mecânica não tão boa”, afirma Marcelo.

Prevenção: Manter um treino de força com atenção especial aos quadríceps e glúteos e um bom alongamento dos posteriores de coxa. Além disso, trabalhar a mecânica da corrida para ter um movimento correto. A mulher que já apresentar algum sintoma deve evitar salto alto ou ficar muito tempo com a perna cruzada.

Tratamento: Há alguns níveis. “A primeira forma e a mais importante é a fisioterapia, com táticas para redução de dor no início e, a seguir, métodos para evitar ou amenizar essa dor no longo prazo”, afirma Marcelo. Os três pilares desse tratamento seriam: fortalecimento equilibrado dos quadríceps para que a patela tenha uma trajetória estável e bem-direcionada (reduzindo assim o atrito), fortalecimento dos rotadores do quadril (como glúteo médio e mínimo) que dão estabilidade às coxas e ao fêmur (o “trilho” por onde essa patela desliza) e o alongamento dos posteriores de coxa (isquiotibiais) para reduzir a tensão nos quadríceps. Em alguns casos, quando há uma alteração significativa da anatomia ou lesão da cartilagem muito importante, pode ser indicada uma cirurgia para reparação dessa cartilagem. “Mas isso deve ser avaliado com muito cuidado. A lesão deve ter uma participação muito grande na dor do paciente”, diz Marcelo.

Esportes mais indicados: “Para quem tem condromalácia, seriam mais indicadas as atividades com menor carga na região, como a natação. Qualquer esporte de salto (como vôlei ou basquete) ou de impacto (como a corrida) significa uma carga maior. Aqueles em que há grande flexão dos joelhos, como o remo, também podem gerar alguns sintomas”, afirma Marcelo. Mas isso não significa que a corrida está proibida, ela apenas exige mais atenção. “É crucial manter uma ótima mecânica e fazer treinos paralelos de força”. O ciclismo pode gerar alguns sintomas, mas não é um esporte danoso para a cartilagem. “Claro, desde que feito de forma correta e com o banco da bicicleta um pouco mais alto”.

 

ARTIGOS RELACIONADOS