Care Club – Health Center | Centro de Saúde | Medicina, Fisioterapia, Nutrição, Treinamento, Spa e muito mais

4 Dicas de Ouro para Corredores

por Lucas Piveta e Simone Kirschke, fisioterapeutas

Iniciante ou experiente, entender um pouco mais sobre como impor uma boa corrida é sempre importante. Sabendo disso, preparamos 4 dicas de corrida:

 

  1. Começaremos com o CRESCER! Imaginar que há um elástico amarrado em sua cabeça, puxando-o (a) para cima. Esta ação recruta músculos posturais importantes para a execução da corrida;

 

  1. O pêndulo e o olhar: este é um dos mais importantes mecanismos e serve como guia para uma corrida mais horizontal. Olhar para frente – e somente para frente – é importante para facilitar uma ação de pêndulo do corpo todo indo à frente – e quando o corpo está posicionado à frente, não perdemos energia com algum segmento que se perde para trás em relação ao seu eixo;

 

  1. Ação do pé empurrando o chão para trás: se queremos ir para frente, que é o objetivo da corrida, alguém precisa nos ajudar a nos deslocarmos neste sentido. A ação parte do pé, único segmento em contato com o chão, que deve “lamber” o chão para trás;

 

  1. Passos curtos e frequentes: a tendência da maioria dos corredores é executar passos largos, buscando o chão lá na frente do corpo. Isso não é uma boa estratégia, e é conhecida como “overstride” – que significa pé à frente do corpo. Esse mecanismo faz agachar e depois ganhar altura novamente, em ciclos repetidos;

 

Continue lendo abaixo, mas antes, cadastre seu e-mail para receber mais conteúdos sobre corrida de nossos especialistas.

O atleta que corre com passos largos, caindo à frente do corpo, vai gerar uma cascata de consequências:

  • Para não frear a corrida, o sistema nervoso central desativa os músculos posturais para continuar indo à frente. Com isso, a perda de altura será inevitável e consequentemente brigará contra o chão num sentido negativo, em busca de altura. Isso fará da corrida um desce e sobe cíclico, quando deveríamos ir o mais pra frente (e só para frente) possível;
  • Com o pé caindo à frente do corpo, ainda ocorrerá a dificuldade do segmento de realizar a empurrada do chão para trás, o que era o esperado. A empurrada nestes casos acontece para trás e pra baixo – numa tentativa de restabelecer a altura perdida ao agachar;
  • Além disso, o agachamento, por conta do “overstride”, pode gerar alguns riscos para as articulações do joelho e do quadril.

 

Quer saber mais sobre biomecânica de corrida? Entre em contato!

Saiba mais sobre Análise dos Movimentos de Corrida por meio da Reeducação Funcional

 
DR. LUCAS PIVETA
É Fisioterapeuta na unidade da Care Club Piracicaba/SP
eBook Gratuito: 8 Dicas para Correr Sempre e Melhor
DRA. SIMONE KIRSCHKE
É Fisioterapeuta na unidade da Care Club Piracicaba/SP
Receba os conteúdos criados por nossos especialistas

ARTIGOS RELACIONADOS

ortopedia

Cisto no Joelho: O Que Você Precisa Saber

Os cistos no joelho são uma condição comum que pode afetar pessoas de todas as idades. Eles são pequenos sacos cheios de líquido que podem se formar em diferentes partes da articulação do joelho e podem causar desconforto e limitações no movimento. Neste artigo, vamos explorar o mundo dos cistos no joelho e discutir suas causas, sintomas, diagnóstico e tratamento.

SAIBA MAIS »